quarta-feira, 5 de outubro de 2016

Grandes mentiras e os mentirosos que as contam (21-12-2012)


  Parece piada essa estória de fim do mundo em 2012, sem nenhum sinal científico de alerta, mas esta não foi a primeira vez que foi falado que o mundo ai acabar. Isso me remete a algo que eu vivo falando e as pessoas, a maioria delas, não dão muita atenção.
Embora eu ache que existir nas nossas mentes uma ideia que existe um Deus que olha por todos nós seja reconfortante, se a gente for olhar este fato desdo início de nossas organizações sociais podemos ver que as pessoas que dominavam, ou mandavam em algo, eram sempre os "Deuses na Terra", "Representantes de DEUS", "Filhos de DEUS", "A igreja". Eu não estou falando aqui de religiões, já que este assunto precede este tipo de classificação espiritual.
  Na antiguidade os primeiros grandes donos de terra e controladores dos povos eram pessoas que recebiam entidades espirituais, que tinham algum poder de cura, ou algo inexplicável.
Avançando mais no tempo, bem mais, na organização dos reinados, o Rei era o representante de Deus na terra, ele era o cara. Sabemos também que se você for estudar um pouquinho de história, de qualquer monarquia verá que o tal rei ou membros de sua família faziam coisas desumanas para manter tal legitimidade.
  Outro grande poder de Deus na vida das pessoas é a igreja, estou falando de qualquer igreja. As igrejas não pagam impostos, as igrejas vivem de contribuição, mas você sabia que muitas das pessoas que trabalham nas igrejas recebem por isso? Que padre, pastor e líder religioso ganham salário. Poucos sabem disso.
  Voltando a estória das grandes mentiras e seus mentirosos, eu acredito na teoria que a grande de todas as mentiras contadas na terra seja a estória de Jesus, não estou falando que ele não existiu, mas acho mais fácil acreditar que boa parte da estória que conhecemos tenha sido bem distorcida, tanto que precisou de várias testemunhas para se escrita.
  Se em 1327 foi ordenado que monges não pudessem ter conhecimento dos fatos do mundo, eles que eram uma das melhores classes sociais da sociedade. Para isso criaram a grande mentira que aqueles livros que estavam na biblioteca perto deles, eram satânicos.  Tudo para que o grande poder não fosse questionado.    Quando alguém era desobediente morria com dedos e língua roxa, sem explicação, esta é uma mentira que foi exposta, já que os as páginas nos livros tinham uma substancia venenosa, e o ato de molhar os dedos na boca para passar as páginas fazia com que o leitor ficasse envenenado, mostra que muitas vezes para obter o controle é preciso contar mentiras.

  Mas esta estória constante de fim do mundo já perdeu a credibilidade com a maioria das pessoas, mas acredito eu que isso possa ser alguma forma de controle populacional. Fala-se está chegando o fim do mundo, as pessoas do mal fica boas, as pessoas que acreditam em tudo ficam desesperadas a ponto do suicídio  O mundo fica com menos pessoas e fica tudo certo.

Qual será a próxima grande mentira?

quinta-feira, 18 de agosto de 2016

Estar é um estado transitório em um mundo permanete

Nos últimos três anos todas as vezes em que foi necessário falar em público em nome da empresa em que trabalho, e trabalho somente até o dia 30 deste mês, sempre disse "Sou Viviane Lepsch e ESTOU Coordenadora de Comunicação na IHN" e estive por três anos. Embora a grande maioria dos profissionais que conheço SEJAM gestores, SEJAM coordenadores, SEJAM analistas, SEJAM chefes, nunca achei que sou coordenadora. Não por não ter me apropriado do cargo. Mas simplesmente porque um cargo não me define. E não definiria também meu trabalho, meu esforço e minhas conquistas.

O fato é que quando você se possibilita a "estar" e não a "ser" você aceita a possibilidade de amanhã não estar mais. E foca em "ser" o que realmente importa. 

Eu sou as coisas que acredito, eu sou o amor que tenho pela minha família, o amor que tenho pelos animais, eu sou os meus defeitos, sou minhas qualidades e em algumas vezes até sou minhas decisões, mesmo que em algumas vezes elas sejam transitórias.  Dito isto, não sinto ter um peso nas costas de continuar sendo Coordenadora, pois eu estava Coordenadora. Agora eu estou com vontade de tocar uma empresa, estou com vontade de seguir um sonho e estar fotógrafa, de estar publicitária e estar sem medo de ser feliz. Aliás eu só tenho este blog até hoje porque as vezes eu estou blogueira.

De coração aberto o mundo é mais legal para quem está, pois estar é transitório em um mundo de permanências.

quarta-feira, 4 de maio de 2016

Meu DEUS, alguém precisa levantar para essa senhor sentar. Alguém que não eu.

Estava indo levar alguns squeezes para um evento de um projeto e peguei o ônibus 38 (Itaipu x Centro) próximo ao Shopping Itaipu Multicenter. Estava de mochila e com uma sacola volumosa, porém muito leve. Ao passar pela roleta percebi que embora não houvesse ninguém em pé somente os bancos amarelos estavam vazios. Esses bancos são prioritariamente para o uso de idosos, deficientes, grávidas e obesos. Mas qualquer um pode sentar nesses lugares, caso não haja pessoas de prioridade na condução. 
Sentei em um banco amarelo próximo a porta de saída do ônibus e fiquei alerta para levantar caso fosse necessário. Havia uma senhora ao meu lado, falamos brevemente, chegou o destino dela e ela saiu. 
Fui para o canto e sentou ao meu lado um senhor de cerca de 40 anos, tentou contato comigo. Parecia que queria me cantar, não dei atenção. Depois que ele sentou dei uma olhadinha nos bancos amarelos, que estavam vazios na hora que entrei e que naquele momento tinham pessoas ocupando esses lugares. A maioria das pessoas que ocupavam esses bancos, com exceção de dois deles eram pessoas que não estavam no grupo prioritário e tudo bem, não havia em pé pessoas de prioridade. 

Ao avançar da viagem, já com o corredor do ônibus vazio e com todos os bancos cheios entrou uma senhora de mais de 70 anos e caminhou por mais da metade da condução e ninguém levantou. O senhor ao meu lado ficou olhando para um menino, de cerca de 13 anos, que estava sentado em um banco prioritário. Pedi licença a ele, pois ia levantar para a senhora.  E então esse senhor veio me questionar que quem deveria levantar era o menino e não eu. Como não queria discussão disse a ele “ele é um menino, não tem noção dessa situação” para que ele me deixasse levantar logo para a senhora sentar. O jovem senhor muito indignado e ao ver que eu estava com uma sacola grande disse: “então deixa que eu levanto” e como “macho alfa” o fez. Depois da idosa sentar, ele continuou a me questionar  que o garoto deveria levantar e não eu, no caso ele. 
Eu já bem sem paciência com a situação disse então: “Meu senhor, educação vem de casa. Na minha família me ensinaram a ceder a vez a quem necessita” e ele disse, "mas ele é um adolescente, tem noção do que está fazendo". E para finalizar a conversa eu disse ao senhor: “Ele pode ser criança, adolescente, adulto e etc. Mesmo assim eu não posso obriga-lo a levantar e ceder o lugar para um idoso, o que eu posso fazer é a minha parte e levantar, independente da cor do banco em que estou”.
Dito isto, a conversa parou por ali.
A idosa havia ouvido a conversa calada.
Alguns pontos depois chegou o destino dela, e ela me agradeceu e soltou um lindo sorriso. Em momento algum ela agradeceu ao rapaz que havia levantado para ela sentar.
O lugar ao meu lado ficou vazio, acho que o homem ficou com vergonha de ali sentar novamente. Dois pontos depois chegou um idoso que sentou ao meu lado.  E seguimos a viagem, sem mais conflitos por causa de bancos azuis ou amarelos.

A situação real pela qual passei me fez refletir sobre nossas atitudes como nação brasileira, queremos que as coisas mudem, que nossos representantes sejam idôneos, mas queremos muito dos outros e não de nós. As pessoas não estão dispostas a fazerem a parte delas, embora queiram que os outros façam. As pessoas querem que a polícia prenda todos os bandidos e não estão nem aí sobre em que condições esses presos vão ficar. Se as medidas serão construtivas ou punitivas.  Enquanto o problema for o outro nunca vamos ter orgulho de ser uma nação, pois não haverá do que se orgulhar.

domingo, 17 de janeiro de 2016

Fernanda Souza arrasa ao posar de biquini no seu Instagrna

Fernanda Souza fez sucesso essa semana, sábado dia 16, na internet ao postar duas opções de biquínis para que os internautas escolhessem o preferido.

Vale lembrar que a "musa" nem sempre esteve com o corpinho em forma e interpretou ao longo do carreira personagens "cheiinhas", hoje ela arrasa com sua barriga tanquinho e com visual fitness.

Parabéns Fernanda

Fernanda versão 2016




Fernanda Souza 2006, personagem Carola


quinta-feira, 14 de maio de 2015

Nike e Coletivo Briza promovem “Festival Briza skate- Brasil o país do skateboard 2015”

No próximo sábado, 16 de Maio, acontecerá o “Festival BRIZA SKATE- Brasil o país do skateboard 2015”, a partir das 13h, com entrada franca na comunidade do Para Pedro. Está é a segunda edição do Festival, que foi iniciado em 2014 a partir de uma proposta que o Coletivo Briza enviou ao edital do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento no Brasil (PNUD) em Parceria com a Rede Esporte Pela Mudança Social (REMS).

Com o objetivo de fazer com que a comunidade conheça e tenha acesso à modalidade esportiva skate. Desde 2014 o festival faz parte do calendário de atividades do Briza e pela primeira vez será aberto à comunidade. “O nosso maior interesse é orientar os pais o quanto é interessante e importante  a prática do skate e suas influências urbanas,  além de vivenciarem um evento de skate aberto à comunidade, estimulando a prática da modalidade e a convivência entre as pessoas” Diz Charles Silva, presidente do Coletivo Briza.

O evento contará com shows, desfile de Moda Skate & Surf e diversas oficinas gratuitas para público entre 7 e 14 anos e também para os pais, além de distribuição de brindes e de lanche. As atividades disponíveis no festival são: oficina de skate com Coletivo Briza, futebol de rua, ministrado pelo Instituto Futebol de Rua, slachline, oficina de pipa, skate simulador, playstation, oficina de DJ com DJ Soneca, corrida comemorativa com o grupo de corrida “Briza Corre”, com corredores convidados simpatizantes da comunidade, corrida de 5 km, e ás 14h30 Corrida kids para crianças e adolescentes. O evento também contará com uma palestra com o empreendedor social Robson Santos da EMPREGA.VC, além do lançamento do projeto “Briza Skate Oficinas: Briza Skate para Crianças” em parceria com a Nike do Brasil.

“No ano de 2014, o Festival Briza Skate  deu tão certo que inserimos em nosso calendário anual, hoje o festival é o principal evento de nossa Organização. Diferente do ano de 2014 neste ano iremos realizar pela primeira vez em uma comunidade, a favela do “Para Pedro” que fica ao lado do espaço em que  atendemos as atividades nestes longos 14 anos de projeto, boa parte de nossos educandos moram na comunidade, e eu também” diz Charles Silva

A abertura do evento será feita pelo rapper Carioca Aori, Marcão Baixada e o grupo feminino de rap undergound Carioca, Ladie Gang. Ao chegar ao evento será necessário direcionar as tendas para inscrições nas atividades e oficinas.

DJ Soneca irá comandar o som e Leonardo Coréia, morador da comunidade, será o Mestre de Cerimônia, anunciando as atividades durante o festival. O festival encerrará com a formatura da turma  do Briza Skate Oficinas.

A Hevp, pela primeira vez  em parceria com o Coletivo Briza,  estará fazendo uma ação de doação de camisas para os projetos que o Briza apoia. Também será a primeira vez que a Hevp apoiará  uma organização atuante na comunidade. O objetivo da Hevp é criar consciência e causar impacto social positivo. Doar uma camiseta a cada uma que é vendida é a forma de ajudar.

Local: Comunidade Vila São Jorge (Para Pedro), Colégio - Rio de Janeiro, RJ
Endereço: Estrada do Colégio s/n - Colégio (Associação de Moradores Vila São Jorge (Para Pedro) .
Horário: 13h às 17h

Fotos:
Dhani Borges 

terça-feira, 27 de maio de 2014

Mulher tem dessas coisas

Preparem-se homens este é o momento da revelação, mulheres...
Bom, mulheres tem dessas coisas... elas:
Sabem o nome da cor do esmalte que usam;
Tem sempre um pressentimento que acontece;
Elas percebem as coisas no ar, ou na direção dos seus olhos;
Elas leem nas entrelinhas e você sempre finge que ela está errada, pode falar. Mas não está. É claro que estou falando das normais, e não das "ciumentas possessivas neuróticas" e que para piorar esquecem de tomar o remedinho de vez em quando;
As mulheres sempre reparam a expressão do seu rosto;
Na roupa de outra mulher;
Uma mulher sempre sabe quando a outra mudou ao cabelo;
Quando alguém está precisando urgentemente de uma passada no salão;
Mulheres reparam tudo;
Enquanto os homens levam alguns muitos minutos para reparar uma mulher, a mulher vê todos os detalhes em poucos segundos e ainda reparam que o homem está olhando para a passante;
Sou péssima com nomes, mas quando alguém me fala "Aquela de cabelo preto..." Eu logo completo... cheiinha? que usa óculos? que se enche de barras de cereais? É, eu reparo.
Mulher é um bicho curioso, quer saber, quer falar...
Falando sobre falar... a gente fala... COMO FALAMOS!!
Embora algumas sejam mais tímidas, falamos muito;
Quando uma mulher viaja com um homem, chega a um determinado momento em que o homem finge que está dormindo somente para a mulher parar de falar. Quando são duas mulheres elas falam a viagem inteira e ainda tem assuntos para o local da viagem e para a volta. Fazer o que?
São elas também que colocam cada coisa em seu lugar. Com sua visão de falcão: elas tomam conta do lar, do marido, do filho, do cachorro e quando você vai procura-la, ela sempre tá linda e com tudo em seu lugar. Será que são super-heroínas?

Mulheres tem dessas coisas.

quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

Realizações profissionais

Em épocas atrás eu andava muito preocupada com o salário, com a posição que ia ocupar. Essas coisas inerentes a carreira profissional. Porém sempre me norteei pela convicção de que só trabalharia com o que realmente me fizesse feliz.

Muito pode ser esse tal conceito de felicidade. Mas será que vale mais ter um bom salário em uma empresa que não tem a sua cara ou ter um salário médio em uma empresa com ambiente saudável e que você se sente realizando várias coisas fantásticas?

O dinheiro é o que move o mundo em que vivemos, é um absurdo o preço das coisas. Isso é um absurdo para pessoas como eu que acham que o seres deste planeta andas valorizando muito mais "coisas" que pessoas.
Então, um bom salário pode ser necessário.
Até que seja necessário para sobreviver, ou  para viver com dignidade.

Mas então, o que importa mesmo?

É claro que ganhar mais deixa qualquer um feliz, mas... e suas realizações profissionais? E as pessoais? Onde ficam nisso tudo?

Cada dia em que vou trabalhar tenho mais convicção de que estou fazendo algo que é realmente importante para a vida humana, para o cenário nacional. E mesmo que seja um trabalho de formiguinha. Minhas realização profissional aparece a cada dia quando acordo e resolvo dizer que aquele será mais um dia de trabalho.

quarta-feira, 27 de novembro de 2013

Coisa de gente mal amada x coisa de gente mal comida


Sou da seguinte opinião: Todo relacionamento tem que ter respeito. Respeito no início, no meio e no fim. Nos tempos atuais há um número exagerado de homens e mulheres babacas, individualistas, mal amados e mal comidos. Mas e daí? O mundo sempre foi assim. A questão é até onde a falta de respeito pelo outro pode ir.
Independente de como terminou o relacionamento eu acho um absurdo que homens publiquem vídeos e fotos transando com a ex na internet. E acho também absurdo o uso de dois aplicativos “rivais” na internet.
No Lulu mulheres classificam os seus ex como consumidores fazem no SAC do reclame aqui. Falam o quanto o ex é ruim de cama, o quanto o pinto é pequeno, o qual o cara é um babaca. Já os homens estão ansiosos para o lançamento do Tubby para mostrar o quanto as mulheres são cachorras, se gostam de tapinhas na bunda, se engolem tudo...
Sinceramente, é um falta tremenda de respeito dos dois lados. Primeiro que o que acontece entre quatro paredes, deveria ficar entre quatro paredes. E depois que denegrir a imagem a alheia por pura vingança só mostra que independente do que o outro lhe fez talvez você tenha merecido, nem que fosse um pouquinho. Já que depois da primeira postagem você se torna igual ou até pior.
Essa postagem é para repudiar toda essa atitude repugnante.


Parabéns aos usuários, ganharam uma postagem.

terça-feira, 26 de novembro de 2013

Pessoas com dificuldade de apreender

Quando era uma jovem estudante de uma escola pública, ficava bem incomodada com a dificuldade que algumas pessoas tinham em aprender o conteúdo, que andava lento a passos de lesmas por causa delas. O tempo foi passando e fui começando a respeitar essas pessoas, já que elas tinham que estudar o dobro para poder me acompanhar, já que tudo era mais difícil por causa da falta de concentração ou capacidade de aprendizado que tinham. Mas essa não é a questão aqui.
Estou aqui para falar das pessoas que tem dificuldade para apreender as mensagens, isso mesmo de tomar para si. E isso com a melhor das intenções. Essas pessoas tem dificuldade de tomar para si a melhor parte de qualquer mensagem e só compreendem coisas negativas, ruins e de mau gosto.
Diferente dos primeiros que, são pessoas que admiro. Essa segunda turma é do mal, estou falando daquele seu “amigo” que você fala que vai chupar picolé e ele entende que você está indo fazer sexo oral em alguém. Ou daquele coleguinha de trabalho que entende tudo da forma errada e depois de interpretar da própria forma tenta de queimar com o seu chefe ou te questiona como se você tivesse xingado a senhora que ele chama de mãe.
 A questão é, essas pessoas não tem dificuldade de aprendizagem, não tem problema de concentração esses caras são ladrões das suas frases e pensamentos e fazem de tudo para que você se contradiga, mesmo que não haja a possibilidade disso. Eles interpretam tudo da mais torta maneira, fazem fofoca e ainda saem de vítimas nas situações.
Com eles amigos, é melhor tomar cuidado, ficar quieto e gravar o que fala quando refere-se aos tais.

#ficaadica

quinta-feira, 17 de outubro de 2013

São as pessoas chatas que movem o mundo

São as pessoas chatas que movem o mundo
São elas que se preocupam com cada vírgula
Cada detalhe
Cada sílaba da frase
Cada verso do poema
São elas que lembram de cada lembrança
De cada promessa
Que cobram
São elas que questionam cada coisa
São elas que falam "não", mas também sabem a hora certa de falar o tão esperado "sim".
São elas que fazem as coisas acontecerem
É por causa delas que os grandes eventos são grandes
Que o discursos são lembrados
Que as noivas causam
Que as empresas ganham dinheiro
São as pessoas chatas que movem o mundo
São elas que ficam noites sem dormir fazendo cada check list
São elas que são chatas, porém imprescindíveis
Os melhores são chatos, são teimosos e vão até o limite, cada vez
Que não tenha saído perfeito, tudo bem, somos humanos
Mas se foi bom, bem feito e deu certo
Pode ter certeza que foi uma pessoa chata quem fez.

Sejamos mais chatos e seguiremos menos a correnteza, porque que só assim moveremos o mundo!